5519989916625

Trabalhadores de clínicas e laboratórios em greve a partir de 14/11

10/11/2023

Em estado de greve, os trabalhadores de laboratórios, clínicas médicas e de hemodiálise decidiram, em assembleia realizada dia 8, na Sede do Sinsaúde, cruzar os braços a partir do dia 14 de novembro. Os motivos são três: 1) as empresas não deram reajuste salarial e não assinaram a Convenção Coletiva de Trabalho ou o Acordo Coletivo de Trabalho; 2) aumentaram as pressões e ações antissindicais e 3) não estão pagando o Piso Nacional da Enfermagem. 

O Sindicato convoca os trabalhadores para se mobilizarem em seus locais de trabalho e em suas redes sociais e a se juntar à luta, dia 14, a partir das 6h, em frente das clínicas e laboratório: Davita, Franceschi, Diagmed, Confiance, Fleury, Day Hospital e Sabin, onde haverá presença de diretores do Sindicato. Outras clínicas ainda podem aderir. Para isso, é necessário entrar em contato com a diretoria do Sinsaúde. 
 
“A categoria não suporta mais tanto descaso da classe patronal. O reajuste salarial não veio, os direitos trabalhistas estão ameaçados, enquanto as empresas crescem e os lucros aumentam”, avalia o diretor Jurídico, Paulo Gonçalves.
 
Fora da Convenção e da lei
 
Os representantes dos patrões (sindicatos patronais) não querem assinar as convenções coletivas ou acordos de trabalho, deixando mais de 20 mil trabalhadores de clínicas e laboratórios de Campinas e região sem proteção aos seus direitos desde 1º de junho, data-base da categoria. O Piso da Enfermagem, aprovado há mais de um ano, ainda não chegou ao bolso dos profissionais. “O STF já julgou a lei 14.434/22 constitucional e mandou pagar. O prazo venceu em 6 de outubro. Quem não pagou está fora da lei”, acrescenta Gonçalves.
 
O Sinsaúde ainda recebeu denúncias de pressões para os profissionais fazerem cartas de oposição ao Sindicato, o que é uma ação antissindical, portanto ilegal. Além disso, denunciam mudanças de função para fugir do pagamento do Piso Nacional da Enfermagem. 
 
“Não podemos permitir este desrespeito com a categoria. Precisamos de valorização pelos serviços prestados às empresas e à sociedade. É momento dos trabalhadores se unirem ao Sindicato e fortalecerem a luta pelos direitos conquistados”, afirma a presidente do Sinsaúde, Sofia Rodrigues do Nascimento.
[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

instagram

youtube