5519989916625

Campinas afasta 300 profissionais de saúde com problemas respiratórios

11/01/2022

A Secretaria de Saúde de Campinas informou nesta segunda-feira (10) que pelo menos 300 dos 6.075 funcionários da Pasta e da Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar estão afastados em razão de sintomas respiratórios. O número representa cerca de 5% do quadro de trabalhadores. Por esse motivo, a Administração diz que tem feito remanejamentos entre as unidades e disponibilizado horas extras para garantir os atendimentos. 


Nos últimos dias, os atendimentos de sintomáticos respiratórios na Atenção Básica e nas unidades de urgência e emergência aumentaram aproximadamente 400%. A maioria dos casos é de gripe – segundo a Saúde, ao final de dezembro apenas 3% deles tinha confirmação para Covid-19.  

Em razão do aumento e dos afastamentos, alguns serviços estão sendo impactados, pois estão sendo priorizados os atendimentos de pacientes com sintomas respiratórios, exames de PCR e antígeno para detecção de covid-19, os casos de urgência e emergência e a vacinação contra a Covid-19. “A secretaria e a rede pedem a compreensão da população e asseguram que a assistência está garantida”, informou a Prefeitura.    

Devido ao aumento da demanda de pacientes na rede, por conta principalmente do surto de gripe, na semana passada a Prefeitura anunciou a contratação emergencial de 163 profissionais de saúde para as unidades da Rede Mário Gatti e a assinatura de contrato com entidade sem fins lucrativos que ficará responsável pela contratação de médicos e profissionais na UPA Campo Grande. A entidade começou a atuar nesta segunda, para compor as atuais escalas de trabalho e, dia 17, assume plenamente com os funcionários terceirizados.   

Ainda nesta segunda, as UPAs passaram a contar com instrutores e alunos da Faculdade São Leopoldo Mandic e Unicamp (são seis professores e 24 alunos). “Também foi ampliado o valor do adicional emergencial para plantões realizados às segundas, sextas, sábados e domingos. O pagamento será feito até 31 de janeiro para os trabalhos diurnos (7h às 19h) e noturnos (19h às 7h). Outra ação foi a reorganização dos fluxos de atendimento de sintomáticos respiratórios nos 67 centros de saúde. Desde a última semana de dezembro, todas as unidades estão atendendo esses casos em todo o período de funcionamento”, informou a Saúde.

Internações

Segundo balanço de hoje, Campinas conta com 75 leitos de UTI exclusivos para pacientes com Síndromes Respiratórias Agudas Graves) nas redes pública e particular de saúde. Do total de leitos, 55 estão ocupados, o que corresponde a 73,33%, sendo 21 deles com Covid.

Fonte: RADAR C 
[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

instagram

youtube