5519989916625

Mulheres que não se rendem

A luta pela ampliação do papel e dos direitos das mulheres na sociedade é, sobretudo, um esforço por uma sociedade mais justa, livre e democrática.

02/03/2021

Desde a criação da data de 8 de março, o empenho em defesa dos direitos das mulheres e no ingresso no mercado de trabalho, vários aspectos da discriminação pela questão de gênero têm se manifestado. Dois exemplos da discriminação e da violência, no ambiente de trabalho são o assédio moral e sexual, infelizmente recorrentes e ambos com implicações psicológicas e sociais, sendo as mulheres as principais vítimas destes tipos de violência. A proteção das mulheres é responsabilidade de toda a sociedade, e todas as instituições devem se mobilizar para isso, desde a família, passando pelos espaços religiosos, culturais, educacionais e laborais.


A fundação de nosso Sindicato ocorreu em 1938, onde surgiu uma nova era de lutas dentro de nossa categoria e criou essa entidade que luta diariamente para defender e conquistar direitos aos trabalhadores da saúde e principalmente às mulheres, que são associadas e representadas pelo Sinsaúde. Para se ter ideia, mais de 83% de nossos associados são mulheres que fortalecem o sindicato em prol da categoria como um todo. Este número mostra a força feminina dentro de nossa categoria que é responsável por um dos setores mais importantes de nossa sociedade. Em meio ao caos causado pela pandemia da Covid-19, a sociedade colocou em pauta a humanização e reconhecimento destes profissionais que arriscam suas vidas diariamente. Mas a luta não acabou aqui, falta a valorização.

Nossas lutas resultaram em diversos avanços, mas, apesar desses, ainda temos um longo caminho a percorrer para que tenhamos uma igualdade real de gênero. Em nossas negociações com o setor patronal, buscamos condições que melhorem a condição de vida das mulheres como a licença maternidade de 180 dias, auxílio-creche ou berçários dentro dos estabelecimentos de saúde, além de duchas higiênicas e fornecimento de absorventes para as funcionárias. Quem se lembra do protesto da jogadora de futebol Marta na Copa do Mundo de Futebol Feminino que aconteceu em 2019, na França. Após marcar gols em cinco Copas do Mundo e bater o recorde, Marta protestou em sua chuteira com um símbolo de igualdade salarial no esporte ao invés do patrocínio habitual. A jogadora é uma das maiores que já existiram na modalidade, sua influência e exemplo são dignas de aplauso e o ato de manifesto mostrou que, mesmo no século XXI, nós mulheres ainda precisamos mostrar que merecemos receber os mesmos valores quando exercemos a mesma função que os homens.

Outro problema que nos assusta é a violência contra a mulher. O problema sempre existiu ao redor do mundo e ganhou destaque nos últimos anos com a evolução do papel da mulher no ambiente social, político, profissional, consolidação dos movimentos e a luta pela promoção da igualdade de direitos. A mulher tem deixado de fazer parte das “minorias” (e hoje somos mais da metade da população brasileira) e vem adquirindo espaços que sempre lhe foram de direito. Como consequências sociais nós temos a sobrecarga do sistema de saúde, que trata as vítimas de suas sequelas físicas e emocionais, das forças policiais ostensivas, que têm que atuar na contenção dos agressores, e dos sistemas judiciais, que têm que mover os processos de agressão quando os casos de violência são denunciados. Resultados negativos que temos diante da agressão a mulher.


E este ano nossa Campanha está focada em resgatar a autoestima destas mulheres que tanto se esforçam para conquistar seu espaço e que devem se orgulhar de cada degrau alcançado, sem deixar que os padrões sociais as limitem. Acredite no poder de ser você mesma, transborde alegria e felicidade para as pessoas ao seu redor. O mundo vai te ditar regras, vai te impor hábitos, vai querer mudar os seus costumes e sonhos, mas não permita. É diante de todas essas dificuldades que continuamos firmes e fortes, galgando degraus e alcançando posições por mérito de sermos incríveis. Nos tornando nossas próprias inspirações, dignas de reconhecimento e valorização por tudo o que fizemos até aqui e estamos dispostas a fazer. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história. E a importância dessa luta se mostra em tempos em que se fala no mês da mulher e não somente no dia.

Um beijo no coração de todas as mulheres. Juntas, continuaremos vencendo todos os obstáculos que serão colocados em nosso caminho. Parabéns pelo nosso dia!

MAIS ARTIGOS
[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

instagram

youtube